Sobre Mim

Bem vindo ao nosso site de viagens e aventuras!!!

Fora da Zona de Conforto
Depois de ter rodado e vivido pelo mundo mochilando por cerca de 100 países e territórios em diferentes viagens eu resolvi que era hora de compartilhar toda essa experiência a fim de poder ajudar a outros para que, como eu, tenham o mesmo sentimento de viver uma aventura diferente a cada mochilada.

 

Qual o objetivo deste website / blog?? 

Esse site tem dois objetivos. O primeiro é mostrar e dar dicas de como faço para mochilar de uma forma econômica e efetiva, o que por muitos pode ser considerado uma arte!! Basicamente eu faço tudo, ou quase tudo o que gostaria de fazer em uma viagem, mas consigo fazer tudo isso de uma forma muito econômica, exatamente como qualquer outro mochileiro sabe fazer.

Tentarei ser o mais detalhado possível mostrando desde o básico de como começo a preparar a minha viagem, como encontro passagens baratas, os sites que uso para reservar albergues, como faço com a comida durante a viagem, como achar um seguro de viagem apropriado para mochileiros, basicamente todas as etapas que um mochileiro precisa passar para fazer uma boa viagem a um custo relativamente baixo. Muito do que vou dizer pode parecer bastante óbvio para os mais experimentados, mas acredite, eu encontro muito gente viajando que simplesmente não sabe o básico de como fazer um bom mochilão e caem no mundo com a cara e a coragem… o que na verdade admiro também!!

Qualquer um pode mochilar e serve para qualquer tipo de bolso. Hoje em dia está virando moda “mochilões” de luxo onde taxi é o principal meio de transporte e a acomodação é em albergues mais caros que hotéis 3 estrelas!! Mas também há mochileiros que viajam o mundo pegando carona e ficando na casa de estranhos ao usar o couchsurfing e acabam fazendo uma grande viagem a um custo mínimo. E para outros como é o meu caso, há o meio termo, onde se faz uma certa economia com transporte e acomodação mas não deixa a carteira fechada na hora de se divertir e se aventurar. Resumindo, para mim, Saindo da zona de conforto tudo é válido.

Minha ideia é que eu possa ajudar desde alguém que nunca tenha viajado ou feito um mochilão na vida, até alguém que já tenha viajado bastante e possa encontrar uma boa dica no meu site que possa ajudá-lo na sua próxima aventura.

E como o filósofo dizia: “sei que nada sei”, mesmo depois de tudo que já viajei (acreditem, perto de alguns que já conheci eu ainda nem saí da varanda do mundo), ainda tem muita coisa que eu não sei e estou sempre aprendendo e me desenvolvendo, por isso em todas as minhas páginas eu terei uma seção de comentários para as pessoas criticarem, indicarem melhores práticas, darem sugestões ou simplesmente fazerem perguntas as quais tentarei responder da melhor forma possível.

Meu segundo objetivo nesse site é dar dicas de como sair da zona de conforto, exatamente  como diz o endereço do site. São atividades interessantes que fiz durante os meus anos de estrada que podem interessar a algumas pessoas.

Atividades como ser um voluntario para a Copa do Mundo e Olimpíadas, participar de um programa de Trainee de Divemaster na Tailândia, levar a vida como um instrutor de esqui / snowboard, entre outras coisas que menciono mais abaixo na íntegra do meu perfil. 

 

Ah, mais eu não gosto de mochilar, é coisa de mendigo, muito desconfortável, difícil de ficar andando e usando transporte público cheio de malas. Eu gosto de conforto então esse site não me serve!! 

Como eu já disse, além de eu gostar muito de mochilar pelo estilo de viagem e por ser a forma mais econômica que encontrei para conhecer o mundo, isso não significa que eu não goste de outras formas de viajar. Para mim o que importa é estar em um novo lugar com possibilidade de conhecer outras pessoas, culturas e costumes diferentes das que eu já conheça. Então eu não me importo como seja a minha viagem, se é de pacotão para Disneylândia, se é em um resort de luxo na praia com a família, se é um cruzeiro no Caribe, se é uma viagem na neve com amigos; gosto de explorar o mundo, seja lá como for.

Sendo assim, tenho certeza que muitas pessoas, apesar de fazerem viagens que não sejam mochilão vão encontrar muitas informações interessantes e importantes neste site.

Todo mundo que viaja precisa de seguro de viagens, e eu falo de uma excelente e econômica opção que sempre uso não importa se é uma viagem de aventura ou não. Todo mundo gosta de estar em contato com a família, e eu dou dicas de como fazer isso. Dou dicas do que não pode faltar na sua mochila, mesmo que ao invés de um mochilão você use uma Louis Vuitton (quase que rima!!). A melhor forma de levar dinheiro ao exterior, ou o que fazer durante uma viagem. Pode ter certeza, não importa que tipo viagem eu esteja realizando, sempre farei o Free Walking Tours (tours grátis a pé) se estiverem disponíveis nas cidades onde eu estiver visitando….se você nunca ouviu falar, eu explico melhor no meu site….programa imperdível!!

Também vou manter um Blog com algumas dicas sobre lugares específicos, informações gerais de viagens e algumas estórias interessantes que ocorreram durante as minhas andanças.

É isso aí, se quiserem saber mais sobre mim ou porque e como eu “saí do sistema” e comecei a viajar pelo mundo, continuem lendo mais abaixo na integra do meu perfil.

Espero que apreciem o site e boas viagens!! 

————————————————————————————————————————————————————

 

Meu nome é Rodrigo. Um nome comum para uma pessoa comum. Nasci e cresci em São Paulo, Brasil, e assim como a maioria dos que cresceram ao meu lado durante a minha infância e juventude foram pessoas, de certa forma, comuns.

Terminei a escola, fui para faculdade de administração de empresas (o que no Brasil, infelizmente, ainda é um privilégio para poucos). Estagiei e trabalhei durante a faculdade e me formei. Um ano depois eu já tinha um emprego estável e estava morando com uma pessoa de quem eu gostava muito, em suma, com a vida encaminhada como manda o figurino.

Só que eu sabia que eu não tinha nascido para esse estilo de vida!!! Eu não estava feliz. Eu ODIAVA o meu emprego. Apesar de amar muito a minha namorada naquela época, eu não queria casar tão cedo. Eu não queria com menos de 25 anos já saber como seria o resto da minha vida.

Além disso, eu sabia o quão grande era o mundo e quantas coisas interessantes aconteciam por lá e eu estava vendo tudo aquilo por detrás de uma tela de computador.

Na verdade, comecei a ter minha “crise de meia idade” já no meu último ano de faculdade, ou seja, antes dos meus 25 anos de idade….espero que eu não dure só até os 50!!

Mas pensei, tenho que me formar e dar uma chance a esse estilo de vida. Não deu certo….cheguei ao ponto do famoso “PARE ESSE MUNDO QUE EU QUERO DESCER”!!

Eu tinha me tornado o meu maior pesadelo….uma galinha. Calma!! Eu explico. Quando eu tinha 10 anos, aprendi na aula de ciências que a galinha nasce, cresce, reproduz e morre……eu não queria ser uma galinha, eu queria mais da vida!!

Mas eu não podia simplesmente largar tudo e cair no mundo com uma mão na frente e outra atrás. Eu tinha pouco dinheiro guardado, não sabia como ia me sustentar uma vez que deixasse a minha carreira, então tive que ficar mais 2 anos em um emprego que eu abominava do fundo do meu coração para poder economizar e partir para as minhas aventuras.

Chegou um determinado dia e abri uma planilha de Excel (um pouco triste, mas é assim que organizo a minha vida…..isso que dá ter trabalhado em banco de investimento) e fiz uma lista de quais seriam os meus sonhos na vida. Coisas que eu gostaria de realizar, lugares que eu adoraria conhecer, cursos que eu tinha interesse em fazer, o que eu gostaria de aprender e tudo mais que fosse possível, sem limites de imaginação.

Depois vi o quanto de dinheiro eu tinha e o quanto precisaria para realizar algumas dessas coisas. Eu as separei em sonhos nos quais eu só gastaria dinheiro e outros em que os custos e receitas se igualariam. Havia ainda alguns sonhos em que eu teria que fazer um certo investimento inicial mas cujo retorno financeiro seria maior com o passar do tempo (esse último é o que a gente chama de unir o útil ao agradável).

Foi aí que tomei a minha decisão. Fui contra a família, amigos e obviamente a namorada…. larguei tudo para seguir os meus sonhos.

Não foi fácil. Além da pressão da sociedade, eu era um cara que com 20 anos já trabalhava de terno e gravata em um banco de investimentos na Av. Paulista e, de repente, comecei a limpar banheiros e servir comida às pessoas do outro lado do mundo. Mas tudo na vida tem os seus prós e contras….sempre!! E eu aprendi a colocá-los na balança. Se os prós estão maiores do que os contras, ótimo. Se for ao contrário, está na hora de mudar algo na minha vida.

E um dos meus principais sonhos que, na verdade nunca vai se realizar por completo, é viajar o mundo. EU AMO VIAJAR!! É o meu vício. Só que nunca vai se realizar por completo porque nunca terei viajado o suficiente.

 Uma vez conversando com a minha irmã Roberta eu disse que gostaria de viajar o mundo todo. Aí ela respondeu: “não, eu não; na verdade eu gostaria de morar em todos os lugares do mundo”. E na verdade era isso que eu queria.  Não ser apenas ser um turistão e ver o mundo como um passageiro vê a paisagem por detrás de um ônibus com ar condicionado, mas viver e sentir realmente o mundo como ele é. Obviamente isso é impossível. Não dá para vivermos em todos os países, cidades e locais do planeta, mas dá para chegar num mínimo próximo disso.

Percebi que além de poder passar um certo tempo vivendo, trabalhando, estudando e me integrando em certos países com sociedades distintas, eu poderia também viajar pelo mundo de uma forma mais natural, mais inclusiva e MUITO mais barata. Diferente de um turista que simplesmente comprou um pacote de viagens e nem sabe direito para onde está indo.

Esse tipo de viagem tem vários nomes. Muitas pessoas chamam de fazer um mochilão ou mochilar pelo mundo. Existem muitas teorias de como se mochila, o que é uma viagem de mochilão, o que é considerado aceitável, como ser um viajante e não um turista e por aí vai. Para falar a verdade inclusive existe uma certa “rivalidade” entre pessoas que viajam para dizer quem viajou mais, quem fez as atividades mais legais, quem tem as estórias mais interessantes para contar, quem conheceu mais gente, quem foi o mais louco e quem sabe realmente como se deve viajar.

Longe de mim tentar entrar nessa picuinha. O que posso dizer é que eu viajo do jeito que eu gosto, fazendo as atividades que são importantes para mim a um valor MUITO baixo. A ponto de pessoas sempre me perguntarem como faço para viajar tanto?? De onde tiro tanto dinheiro para isso?? Se já ganhei na loteria?!?!?!

Acreditem, como já expliquei acima, você não precisa ganhar na loteria para poder viajar ao redor do mundo!! 

 

Mas e esse nome do site FORA DA ZONA DE CONFORTO, como assim?? 

Toda aquela estória da minha vida no começo mostrava o quanto eu me sentia na “zona de conforto” e como eu queria sair dela, principalmente através de viagens, mochilando pelo mundo, mas também realizando outros sonhos. E o que muitos deles têm em comum é que eles te tiram da “zona de conforto”.

Obviamente passar o dia em uma praia paradisíaca tomando sol de frente para o mar é o sonho de muito gente…e eu gostaria de fazer isso também, mas isso é estar em uma zona confortável.. Obviamente o trabalho para conseguir o dinheiro e poder fazer essa viagem não é nada fácil e “confortável” mas é algo que devemos fazer para sobrevivermos. O que me fascina são os desafios, fazer coisas que me tiram do mundo ao qual eu estou acostumado para me colocar em um mundo novo, em situações que não estou habituado e com pessoas desconhecidas e ao mesmo tempo tendo um prazer imensurável em todo esse processo.

Algumas características em comum desses desafios é que muitos deles podem ser feitos por viajantes ao redor do mundo e onde, muitas vezes, você pode ganhar dinheiro e fazer disso uma profissão e uma nova carreira.

Eu explico passo a passo como se tornar um instrutor de esqui / snowboard e passar a vida trabalhando e morando em diferentes estações de esqui pelo mundo. Como se tornar um Divemaster  e trabalhar em verdadeiros paraísos pela terra. Trabalhar em albergues pelo mundo e conhecer pessoas tão interessantes que você nem podia imaginar que seres humanos assim existissem. Ganhar dinheiro sendo um comprador misterioso ou usando o seu corpo em prol da ciência (controverso…..eu sei) e pagar pelas suas viagens.

Outros exemplos são sobre fazer parte de algo maior, como ser um salva-vidas voluntário ou morar e trabalhar em outros países ou ser um voluntário para grandes eventos esportivos como a Copa do Mundo e Olimpíadas.

Sei que muita gente vai dizer: “Eu já trabalho que nem um condenado e tenho desconforto o suficiente na minha vida”. Posso dizer isso porque a minha vida era assim. Eu tinha muitos desafios no trabalho, um monte de responsabilidade e problemas….MUITOS problemas. Mas aqui entre nós, quantas pessoas você conhece que realmente estão satisfeitas com o que fazem??

Pode perguntar a amigos e familiares, quantos vão dizer sinceramente que adoram ir segunda-feira de manhã ao trabalho? A grande maioria tem o trabalho que tem por necessidade, porque precisa se sustentar ou sustentar alguém, porque quer constituir família ou para adquirir bens e serviços e manter um certo padrão de vida. Então essa “zona de desconforto” não é exatamente a que você escolheu mas quase aquela que te foi imposta pela vida. Por outro lado, meus exemplos para sair da zona de conforto são aqueles que você tem a possibilidade de escolher e assim ter prazer e se sentir feliz durante o processo.

Não estou aqui sugerindo que você jogue tudo para o ar e saia pelo mundo como um louco. Existem um pouco mais de 7 bilhões de pessoas no mundo e obviamente a grande maioria discorda do meu estilo de vida. Muita gente não quer viajar pelo mundo, não quer viver na incerteza do que estarão fazendo amanhã e de onde estarão morando daqui alguns dias. Apreciam a rotina e gostam da previsibilidade. Quase todos que conheço são assim e têm todo o meu respeito e admiração.

Não significa que você também tenha que mudar radicalmente a sua vida para começar a mochilar pelo mundo e fazer as atividades que mais gosta. Existem férias e finais de semana para isso.Algumas pessoas, principalmente na Europa Ocidental tiram um ano sabático para viajarem pelo mundo e expandir seus horizontes, o que muitas vezes pode até ser bem visto pelas empresas por trazer ideias novas e quebra de paradigmas. Sendo assim, mesmo que você não saia viajando como um andarilho pelo mundo, você ainda poderá usar esse site para planejar viagens e atividades de final de semana.

Para aqueles que por inúmeras razões não possam ou não queiram mochilar ou se arriscar em um mundo desconhecido e muitas vezes difícil, provavelmente este site será nada mais do que um entretenimento….espero….

Porém, para aqueles que assim como eu gostariam de mudar de vida mas ainda estão receosos ou simplesmente não sabem o que poderiam fazer nessa nova vida, espero que o site sirva de  inspiração e dê um mínimo de conhecimento para algumas pessoas começarem uma vida mais feliz e com mais plenitude.

Quanto a mim, ainda estou na estrada e sem profissão definida…..mas como alguém já disse…..“só se vive uma vez”!!

 

Atualização de vida: as coisas mudaram. Depois de muito trabalho árduo, planejamento cuidadoso e reflexão introspectiva, este site tornou-se a minha profissão e negócio, permitindo me sustentar ao mesmo tempo que mantem viva a minha paixão por viajar.

Além disso, estou buscando novos desafios. Eu sempre me interessei por relações internacionais e eventos globais durante a minha vida e finalmente vou começar meu Mestrado em Ciência Política e Governança Global na Universidade de Gotemburgo, na Suécia.

Em outras palavras, a vida está muito boa. Estou trabalhando online para mim mesmo, ajudando outras pessoas a viajar e estudando algo que eu adoro. Ah, e encontrei a melhor companheira de viagens do mundo. 

Eu não sei o que vai acontecer com o site/blog ou se vou acabar trabalhando profissionalmente neste novo campo que eu estou estudando, mas uma coisa: estou muito empolgado com o futuro.

 

Se você quiser saber mais sobre novos artigos, conferir nossas últimas fotos, e ler sobre novidades, é só nos seguir aqui…

Facebook Icon  Instagram Icon  Twitter Icon  Google Plus Icon  Youtube Icon

….e cadastre-se abaixo para receber o nosso informativo:

Related Post from this Blog

23 Responses

  1. Eduardo de Júlio
    Eduardo de Júlio at |

    Oi , Rodrigo, estou adorando ler sobre suas viagens e os paises por onde passa e vive.
    Sou Cabeleireiro e tbm reikiano.
    Há tempo que conheço e atendo sua mãe. É através dela que fico sempre encantado qdo ela começa à falar do seu trabalho. Tenho 47 anos. Moro em Bragança Paulista.

    Reply
  2. Ricardo Yudi Hirota
    Ricardo Yudi Hirota at |

    Após ver sua resposta sobre minha pergunta (primeiramente, obrigado!) fiquei curioso em ler o blog.Sabe, eu também sempre gostei de viajar.Entretanto foram poucas as vezes (e o máximo que fui foi do PR-SC e vice-versa …)
    Essa viagem para o Japão não é bem uma viagem de férias, mas sim trabalho.Entretanto, por eu estar em outro país já posso me considerar um viajante :D, e como você fez, estou largando tudo aqui no Brasil para tentar algo num país que conheço apenas por fotos e vídeos.Mas diferente da maioria que vai para lá para este fim, já me considero mais preparado, pois estudo japonês faz um tempo e meu objetivo é me tornar fluente.Não quero viver num país apenas para trabalhar, mas sim quero conhecer o máximo que ele pode me oferecer, aproveitar o quanto eu puder( e saber ao menos se comunicar com eles é o primeiro passo, né).
    Sempre admirei os mochileiros, a ousadia deles em conhecer o mundo^^
    Aliás você está na Coreia do Sul, né? Outro grande país que sempre tive vontade de conhecer hehe.
    Parabéns pelo blog!
    De fato o usarei muito para futuras consultas, pois não quero me limitar apenas ao Japão, visto que há tantos países interessantes tão próximo a ele, né.Só me falta coragem, mas confesso que ler sobre o que você fez aumentou bastante as chances de me tornar mochileiro um dia!

    Reply
  3. Mauro Brandão
    Mauro Brandão at |

    Velho, que blog é esse irmão ?
    To em puro êxtase !!!!
    Nasci viajante. Nasci pro mundo. Nasci para estar em movimento, para aprender, descobrir e viver tudo intensamente, sendo isso um trekking incrível nas montanhas ou uma conversa no meio fio com um indiano.
    Eu estou em um momento tenso da vida. Acabo a faculdade (adm também my friend) este ano e to mais confuso que cego em tiroteio.
    Sou funcionário público e tenho uma dívida alta, que, se conseguir dar aulas ano que vem, consigo pagar em 1 ou no max 2 anos.
    Mas sinto, no fundo do meu coração que PRECISO partir sem data de volta, preciso fazer o mundo a minha casa, meu lar, onde já tenho família, e esta família é constituída por todos os viajantes do mundo.
    Estou disposto a largar tudo, quando quitar minha dívida e sair.
    Mas é uma decisão difícil. Muito difícil.
    Sinceramente, desde o começo do ano muita coisa aconteceu e eu esta perdendo esta inspiração que senti em todas as suas palavras.
    Preciso me encontrar, e tenho certeza que tu vai me ajuda muito com isso.
    Ser diferente não é fácil, certo ? Tu com certeza sabe como é difícil.
    Mas como viajantes que somos, sabemos que o importante é o que sentimos, o que vivemos, e que cada vez que viajamos mais e mais, nos tornamos seres humanos melhores, mais ricos, mais tolerantes.
    To contigo irmão, te acompanhando por aqui e pelos outros meios.
    E muito provavelmente nos encontraremos pelas rotas da vida.
    Abraços !

    Reply
  4. Anônimo
    Anônimo at |

    Boa tarde antes de entrar no assunto quero agradecer por essa pagina gosto muito pela varias informações uteis…Que Deus abençoe grandemente o dono dessa pagina.Eu sou de africa do sul pais cabo verde vivo aqui em são paulo brasil, mas através da dicas q encontrei aqui como faco pra buscar o preço mais barato daqui para meu pais, cidade praia aeroporto se chama Nelson Mandela .So que não consigo localizar se podia me ajudar agradeço
    desde ja

    Reply
  5. Sergio Meira Lima
    Sergio Meira Lima at |

    Eu tenho que dormir mas nao consigo parar de ler, maximo respeito!!!!!!!!!!!

    Reply
  6. Anônimo
    Anônimo at |

    Excelente site! Muito obrigada, Rodrigo!

    Reply
  7. Lucas
    Lucas at |

    Bixo, é isso ai. Faço minhas as suas palavras. É exatamente o que sinto, não nasci para brincar de casinha (papai, mamãe e filho). Ja morei na irlanda fazendo altos trampos bizarros, mas financiaram viagens para 21 países em 1 ano. Depois fui morar nos EUA, voltei, me formei em direito, ganhando muito muito bem, casei e só nesse ponto que discordo hehehe ao casar eu ganhei uma companheira de aventuras que daqui 1 mês largará tudo para irmos morar na frança sem prazo de volta. Curti demais o blog, acho que ele expressa um sentimento geracional, um sentimento compartilhado por todos nós (até 30 anos). Nossa geração não quer ser como nossos pais… nossa geração quer sentir o mundo em sua essência. Bora ser feliz!!! Parabéns pelo blog!! Nos encontramos com a mochila nas contas por esse mundão.

    Reply
  8. Mário
    Mário at |

    EI cara!
    conhecí hj o seu site e de cara ví que era o que procurava. Tenho 35 anos e trabalho como trader em ivestimentos(algo que consigo fazer em qq lugar, mas que pode dificultar um possível envio de dinheiro já que ganho em reais e pode ocorrer de tem um mês ruim…). Planejo no próximo ano tomar essa mesma iniciativa de morar pelo mundo.Bom, lí sobre a sua sugestão de curso para ser instrutor de esqui e snowboard na Argentina e me pareceu algo interessantes para os meses ruins nos investimentos. Pela sua experiência, esse curso seria suficiente para que eu consiga trabalho nas estações de esqui pelo mundo ou teriam um certo preconceito por ser algo brasileiro?
    Qual seria um preço bom, ou melhor, quanto vc gastou para fazer tudo?
    E algumas curiosidades, qual a sua idade? Vc fala que estudou na Austrália, esse foi o gatilho das suas viagens pelo mundo? Vc começou do nada chegando em algum país quando começou?

    Reply

Deixe uma resposta

Real Time Web Analytics