Como se Tornar um Instrutor de Esqui e Snowboard

Esqui e snowboardQuando você ouve falar do Brasil, você não pensa exatamente em neve ou montanhas, certo? Bom, então imagina o quanto é difícil é para um Brasileiro trabalhar como instrutor de esportes de neve!

Mas essa introdução é mais para te incentivar no seu sonho do que te desmotivar. Se eu como Brasileiro, consegui passar algumas temporadas de inverno em maravilhosas montanhas nevadas pelo mundo ensinando aos outros como esquiar ou andar de snowboard, você também pode fazer o mesmo. Só precisa de foco, dedicação e sacrifício para economizar e poder investir em seus sonhos.

Então, talvez, a melhor maneira de começar este artigo é explicar por que eu, alguém de um país definitivamente não propício para esqui e snowboard, decidiu ser um instrutor. Se você estiver com pressa, você pode pular esta parte para encontrar os prós e contras de ser um instrutor, os passos que eu realmente tive que tomar para me tornar um, dicas sobre como encontrar emprego, bem como uma lista de várias escolas de instrutores em todo o mundo.

 

Como eu acabei me tornando instrutor de esportes de neve

 

Quando eu era mais jovem, nunca imaginei que um dia eu seria instrutor de esqui e snowboard. Essa vontade de ajudar aos outros a se divertir na neve acabou surgindo em mim por algumas razões:

 

  1. Paixão e fascinação pela neve

 

Mascote

Trabalhando de Mascote de esquis para ganhar um extra….

Quando eu era criança, eu passava as férias de verão, na maioria da vezes, na praia. Passava o dia inteiro na água, na areia ou bagunçando pela mata atlântica que ainda existe em partes do litoral paulista. Então tudo aquilo era normal para mim. Nada de especial. Muito ao contrário dos gringos que quando vêm ao Brasil se fascinam com o mar e a mata tropical.

O que não era muito comum para mim era a neve. Aquilo sim me fascinava: o branco, o frio, a paisagem, a textura de tudo.

Tive algumas poucas oportunidades quando criança de ir a lugares com neve e esquiar e fazer snowboard, o que juntava duas coisas que eu adoro: esportes e natureza. Mas eu queria mais do que cinco dias por ano. Eu queria morar em um lugar com neve e passar meus dias usufruindo da montanha assim como eu fazia na praia quando era mais jovem. Mas tinha um problema: o custo. O que me leva ao segundo motivo…

 

 

    2.  Única forma de poder bancar uma temporada inteira de inverno na montanha esquiando e fazendo snowboard

 

Esqui e snowboard

Você pode me ver?

Como vocês provavelmente já sabem, esquiar ou fazer snowboard é caro para cacete!!

E não é só o passe na estação de esqui que é caro. A não ser que você more aos pés dos Alpes Suíços, ir para uma estação de esqui é caro, a acomodação é cara, a roupa é cara, e o equipamento (próprio ou alugado) são caros. E se você gostar de luxo então, aí é quase o tipo de viagem mais cara que existe.

Mas não que seja impossível para um mochileiro ir esquiar. Eu cheguei a fazer alguns mochilões de neve (indo de estação de esqui a estação de esqui) pela América do Sul, Estados Unidos, Canada, Nova Zelândia e Europa onde gastei uma fração de uma viagem normal de neve. Fora que hoje em dia há muitas estações de esqui em países da Europa Central e Leste de fácil acesso que são muito mais baratas que as tradicionais nas Rochosas Americanas ou Alpes Europeus. Porém, eu vou contar em um outro artigo como você pode economizar ao ir fazer snowboard ou esqui (não se esqueça de se inscrever para o boletim informativo à direita ou na parte inferior da página para que você saiba quando ele for publicado!).

Voltando ao assunto, o importante é que essas mochiladas de neve me deram uma boa milhagem, “técnica” e experiência nas duas modalidades. Porém, não o suficiente para matar a minha sede de neve. E concluí que só trabalhando em uma estação de esqui eu poderia passar tempo suficiente fazendo aquilo que eu gostava. Além disso, faltava algo, o que nos leva à terceira razão que me levou a ser um instrutor.

 

   3.   Eu gosto de ajudar aos outros a aprender algo

 

Acho que isso pode ser visto nesse blog mesmo. Eu diria que 90% dos meus artigos são “como fazer algo”. Sinto prazer em ensinar alguém algo novo e ver o prazer que isso traz para pessoa. É legal ver alguém feliz porque não sabia que existia site X que te ajuda a encontrar a sua passagem aérea de uma forma mais fácil ou companhia Y que tem um seguro de viagem muito mais barato que o que você normalmente compra. O mesmo vai para esportes de neve. É muito legal ver uma pessoa que no início do dia não conseguia nem ficar de pé nos esquis e no final do dia já desce uma verdinha fazendo curvas com um mega sorriso no rosto. 

Esqui e snowboard

Porém, como vocês podem imaginar, não é fácil para um Brasileiro ser aceito como instrutor de esportes de neve, ainda mais sem acreditação alguma. Se você nasceu em um uma cidade em Utah nos Estados Unidos e passou a infância indo esquiar sempre na mesma montanha, até dá para arranjar um emprego de instrutor por lá sem nenhuma qualificação formal, só na amizade e conexões. Mas para mim isso não rolava.

Sendo assim, tive que traçar um plano de ação para chegar aos meus objetivos:

 

  • Aprender sobre como era a vida de um instrutor na estação de esqui
  • Descobrir o que eu deveria fazer para me tornar um (que cursos eu precisaria, etc.)
  • Calcular o quanto isso me custaria
  • Imaginar como eu pagaria por isso
  • Avaliar quais seriam as minhas reais chances de ser um instrutor uma vez que eu tivesse a acreditação
  • Aplicar para diversas escolas em centros de esqui….e começar a trabalhar!

 

Feito tudo isso, parti para ação.

Antes de falar mais sobre cada etapa pelas quais eu passei, eu acho que eu deveria falar um pouco sobre os Prós e Contras deste estilo de vida para que você possa decidir se é isso que você quer.

Esqui e snowboard

Prós e Contras de ser um instrutor de esqui ou snowboard

 

Prós

 

  • Você terá a oportunidade de constantemente fazer um esporte que ama e ser pago para isso!
  • Você trabalhará em um ambiente incrível! Uma vez, subindo a montanha às 7 da manhã durante o nascer do sol com um outro instrutor para fazer treinamento, nós comentávamos como o nosso “escritório” de trabalho era maravilhoso!
  • Você conhecerá pessoas extraordinárias que têm o mesmo estilo de vida que você e fará amigos para o resto da vida.
  • Ser instrutor sempre impressiona o sexo oposto… 
  • Se você quiser, MUITA festa. Obviamente você “nunca” trabalharia de ressaca no dia seguinte 
  • Se você trabalhar em diferentes centros de esqui, terá a oportunidade de viajar o mundo trabalhando
  • Passe de esqui para temporada de graça (economia absurda!!)
  • Se manter em forma!!
  • Em alguns lugares, especialmente nos Estados Unidos, você pode fazer uma boa grana com gorjetas
  • Pode ser uma carreira para o resto da vida….conheci instrutores que tinham mais de 70 anos de idade e ainda ensinavam
  • E finalmente, aqui entre nós, é muito show dizer que você é um instrutor de esqui ou snowboard!

 

Esqui e snowboard avalanche

Durante o curso de avalanche

 

Contras

 

  • Provavelmente nas primeiras temporadas, você dará aulas somente a crianças, o que convenhamos, pode ser um saco se elas forem do tipo que não se comportam
  • Também no início de carreira, possivelmente você só dará aula para iniciantes, pessoas que às vezes nunca viram neve na vida. Então você vai passar muito tempo na base da montanha ensinando como colocar a bota no esqui, como subir na cadeirinha, como fazer curva, brecar etc…
  • Também vai ter que ajudar muita gente a levantar, puxar daqui, empurrar de lá….cansa….
  • Pode haver dias maravilhosos de neve e você vai ter que ficar o dia inteiro nas verdinhas planas ensinando o básico e perder um dia incrível
  • Em 90% dos casos, o salário é variável. Você ganha pelo que você ensina. Se não há alunos suficientes, nada de grana! Mas você ainda tem que pagar comida e muitas vezes acomodação….conheci gente que terminou a temporada no negativo
  • Fazer festa é show, mas se você trabalha quase todos os dias, vai ser duro fazer festa até as 5 AM e estar ensinando às 8 AM ou 9 AM….mas acontece em TODO resort do mundo (já vi algumas vezes instrutor vomitando no meio da classe!)
  • O investimento inicial para cursos e acreditações é caro (e talvez demore muito para se pagar com o que você ganha)
  • Você com certeza vai ficar com uma marca de sol de guaxinim no seu rosto 
  • TEM que estudar muito pois tem provas escritas também para passar nos cursos
  • Você morará em lugares que não conhece e com pessoas estranhas (para alguns isso é positivo)….mas algumas pessoas preferem privacidade e conforto
  • Nem sempre o dia é ensolarado e cheio de neve. Alguns dias você terá que ensinar no meio de uma tempestade, com um frio absurdo e cheio de gelo…não muito agradável
  • Constantemente morando em diferentes lugares te deixará longe da família, amigos e eventualmente dos amigos que você conheceu em determinada temporada
  • Aguentar alguns clientes mimados que te tratam como escravo (não vou mencionar nacionalidades aqui, mas todos nesse setor sabem de onde eles normalmente são)
  • Dificilmente você ficará rico trabalhando de instrutor de esqui ou snowboard, mas acho que se esse é o seu sonho, provavelmente seus valores são outros de qualquer forma…

Esqui e snowboard

 

Enquanto os Contras definitivamente fazem ser um instrutor parecer menos glamoroso do que as pessoas geralmente pensam que é (não é verdade com todos os trabalhos?), Eu posso dizer absolutamente, sem dúvida, que os Prós compensarão os Contras. Então, se eu ainda não te assustei, continue lendo.

 

Todas as etapas até eu realmente conseguir trabalhar como instrutor de esqui ou snowboard e realizar o meu sonho

 

  • Me informar e me organizar

 

  1. A primeira coisa que eu fiz foi passar uma temporada em uma estação de esqui na Austrália, onde eu estava morando naquele momento, trabalhando em um restaurante no topo da montanha durante o dia e em outro restaurante na base da montanha durante a noite. Meu objetivo era conhecer melhor o ambiente de trabalho em um centro de esqui para ver se realmente era aquilo que eu queria e, se fazia alguns contatos para saber mais dos passos para me tornar um instrutor (acho que na verdade, a maioria das pessoas podem pular essa fase).

Esqui e snowboard

Esqui e snowboard

  1. Desde a minha tomada de decisão para ser um instrutor, eu comecei a juntar dinheiro, pois sabia que os cursos não eram baratos. Eu já tinha um pouco economizado e guardava mais com meus diversos trabalhos na Austrália.

 

  1. Comecei a pesquisar os diferentes cursos e locais onde eu poderia adquirir as minhas qualificações. Além disso, comecei a me informar como funcionava o esquema de níveis de classificação e as diferentes associações de esporte de neve por país. O melhor site que eu encontrei que tem um bom resumo disso é o http://ski-instructor-courses.com/different-ski-instructor-qualifications-and-courses/

 

Simplificando, há várias federações de esportes de neve pelo mundo com diferentes sistemas. Em geral os níveis de instrutores vão até 4, tanto para esqui, como snowboard e “esqui de telemark”. Como disse antes, sem qualificação, é difícil conseguir trabalho, mas não impossível, principalmente se você tem experiência com crianças e obviamente sabe esquiar ou fazer snowboard. Para ser honesto, com o nível 1, suas chances de conseguir um trabalho não melhoram muito mais. Quando você chega ao nível 2 tem grandes chances de arranjar um trabalho em um centro de esqui em um país onde você possa trabalhar legalmente, sem a necessidade de visto especial.

Para realmente conseguir trabalhar ao redor do mundo, onde você é tão valioso que as diferentes estações de esqui te ofereçam um contrato que te possibilite um visto de trabalho, você terá que ter no mínimo um nível 3 na respectiva organização de esqui (ou snowboard) que você está seguindo. Isso porque, normalmente, esse nível 3 te dá a qualificação internacionalmente reconhecida da International Ski Instructors Association (ISIA). Isso basicamente diz a todo o setor de esportes de neve do mundo que você é bom para cacete!! E pode ensinar em quase qualquer lugar do mundo…

Uma vez mais, eu recomendo esse site que explica extensivamente sobre cada sistema: http://ski-instructor-courses.com/different-ski-instructor-qualifications-and-courses/

Bom, no meu caso, depois de muita procura, achei um curso que era accessível para mim tanto em termos econômicos como em questão de tempo e localidade. Eu acabei fazendo o CPIT (Coronet Peak Instructors Training Program) que era dado pela própria escola de esqui de Coronet Peak, uma estação de esqui perto de Queenstown, na Ilha Sul da Nova Zelândia. Eu andei pesquisando, mas não consegui encontrar mais informação sobre eles, porém, mais adiante, eu darei uma grande lista de cursos de instrutores pelo mundo.

Esqui e snowboard

 

  • Fazer o curso e passar nos exames de qualificação

 

  1. Primeiramente, eu fiz o curso básico de 5 semanas com a intenção de fazer o exame no final e atingir o nível 1 em snowboard. Posso dizer que foram 5 semanas incríveis, com companheiros incríveis, com instrutores incríveis, em uma montanha incrível, em uma cidade incrível (Queenstown), com festas incríveis e MUITO snowboard. Realmente nunca vou esquecer, marcou a minha vida…e me possibilitou outras experiências incríveis no futuro. Obviamente, também houve aprendizado durante o curso☺. Meu curso (e outros cursos) cobrem uma variedade de coisas com os enfoques de como melhorar suas habilidades na neve, técnicas de ensino, segurança e atendimento ao cliente.

Esqui e snowboard

  1. Mas durante o curso, eu comecei a ver como seria complicado para conseguir um emprego de instrutor em qualquer lugar do mundo com o meu passaporte Brasileiro, então eu decidi fazer mais cursos. Primeiro tive que voltar para meus estudos na Austrália por um tempo e trabalhar mais para juntar mais. Voltei para Nova Zelândia um mês depois e fiz o resto do curso para tirar o nível 2, um crossover (tipo um básico) de esqui e um especial para ensinar crianças….passei em muito do meu orçamento, mas valeu à pena. Saí da Nova Zelândia com um nível 2 em snowboard e os outros cursos que mencionei….agora era só focar em arranjar um emprego no ano seguinte durante o inverno no hemisfério sul.

Esqui e snowboard 

DICA: Ser bom esquiador ou mandar bem no snowboard é muito importante para passar nos exames, mas não é tudo. Profissionalismo, mentalidade de bom prestador de serviço e saber se comunicar para poder ensinar também são fundamentais. Posso dizer isso porque a minha técnica não é nada de especial, mas me esforcei muito para melhorar os outros requisitos.

 

  • Buscando e conseguindo um emprego

 

  1. Se você quer trabalhar em uma determinada temporada, é preciso que você comece a se organizar e fazer as aplicações de trabalho nos resorts com no mínimo 6 meses de antecedência ao início da temporada. E foi o que eu fiz (na verdade eu comecei um pouco atrasado e uns 3 resorts já tinham fechado as inscrições). Eu basicamente apliquei para todos os resorts da Austrália, Nova Zelândia, Argentina e Chile…..TODOS! Mas como em toda busca de trabalho, falta de experiência, contatos e outras coisas dificultam e, para falar a verdade, eu só terminei com duas possibilidades onde talvez eu conseguisse um emprego. Um minúsculo centro de esqui na Nova Zelândia, ou uma “grande” estação de esqui na Australia, Thredbo.

O problema com essa última opção é que eu iria para a montanha sem o emprego garantido. Eles iriam fazer um dia de seleção onde somente cerca de 20% dos candidatos seriam escolhidos para depois fazer uma semana de treinamento e, se tudo desse certo, aí sim ser contratado. Além disso, eu estava aplicando para instrutor de esqui (menos concorrência), mas eu só tinha qualificações em snowboard. Foi uma aposta tentar Thredbo….que acabou dando MUITO certo. Por sinal, Thredbo é um dos poucos centros de esqui que conheço onde você pode ser contratado sem qualificação alguma. Eles te dão o treinamento necessário e durante a temporada você pode fazer os exames de qualificação. E foi isso que eu fiz, cheguei a nível 2 em esqui pela Federação Australiana, fiz um curso básico de telemark, avalanche e uma de esqui adaptado (para pessoas com deficiências físicas) que foram MUITO interessantes.

Esqui e snowboard

Esqui e snowboardEsqui e snowboard

  1. Depois de uma temporada incrível e inesquecível, tentei meu sonho máximo como instrutor de esportes de neve, dar aula na Suíça, um dos países mais extraordinários em termos de montanha para esportes de neve….na minha opinião. Cheguei a ser pré-contratado em uma escola de esqui em Zermatt (para mim, no conjunto, o melhor lugar do mundo para passar uma temporada de inverno). Cheguei a ajudar alguns outros instrutores durante as aulas, mas havia um grande problema: o meu passaporte Brasileiro. Saía muito caro para a escola me contratar e patrocinar o meu visto com o governo Suíço, além disso, haveria a chance do meu pedido de visto de trabalho ser recusado, afinal, por que a Suíça, onde está cheio de instrutores de esqui e snowboard ia dar um visto para um Brasileiro trabalhar por lá. Depois de tentar a sorte por um mês, acabei desistindo. Mas também foi uma grande experiência e a escola realmente tentou me ajudar.

Esqui e snowboardEsqui e snowboard

  1. Sabendo que teria problemas para trabalhar em outros lugares por causa do visto, foquei a minha última temporada em uma região que eu sabia que não teria problemas legais para trabalhar: América do Sul. Uma vez mais, apliquei para vários centros de inverno (e algumas escolar particulares) e acabei sendo contratado pela escola de esportes de neve de Las Leñas na Argentina. Fui o primeiro Brasileiro a ser contrato pela escola em toda a sua história (talvez algo a ver com a falta de neve no Brasil?) e posso dizer que fui incrivelmente bem recepcionado pelos Argentinos (esquece aquela rivalidade boba de futebol), eles me acolheram como irmãos e nunca vou esquecer isso. E como Brasileiro, foi extremamente fácil conseguir trabalhar legalmente na Argentina por uma temporada.
Esqui e snowboard

Sim, estamos chapando no topo da montanha

Esqui e snowboard

E com fogo….

Depois de mais uma temporada inesquecível (impressionante como os Argentinos sabem fazer festa…Fernet Cola!!), decidi me “aposentar” como instrutor de esportes de neve. Eu havia realizado o meu sonho, tido uma experiência inimaginável, conhecido as pessoas mais divertidas do mundo….mas agora era hora de seguir outros desafios e sonhos.

 

Alguma dicas gerais que posso dar se você quer seguir o mesmo caminho e se tornar um instrutor de esqui ou snowboard

 

  • Escolha bem onde fará os cursos e que federação lhe dará as qualificações (para ter certeza que os resorts onde você queira trabalhar aceitem essas qualificações)
  • Tenha idéia de quais qualificações os centros de esqui para os quais você está aplicando pedem a seus instrutores. Como eu já disse, alguns pedem mais, outros só pedem que você saiba esquiar e fazer snowboard em um certo nível e seja um bom “profissional”
  • Saiba que esses cursos serão um grande investimento financeiro, então esteja preparado (mas que normalmente, se pagarão)
  • O ideal é, no mínimo um nível 2 (esqui ou snowboard), para tirar o 3, você precisa de um mínimo de experiência dando aulas durante algumas temporadas
  • Faça outros cursos complementares como eu fiz (especialização de crianças, avalanche etc…)
  • Em geral, é mais fácil conseguir emprego como instrutor de esqui do que como de snowboard. Isso porque as crianças mais jovens quase sempre começam com esqui (maior demanda) e também há muito mais oferta de instrutores de snowboard. Já ouviu aquela piada: “sabe qual é a diferença entre um instrutor de snowboard e um iniciante em snowboard….duas semanas!” 

 

Esqui e snowboard

  • Como já mencionado, aplique o quanto mais cedo possível em todas as escolas oficiais do centro de inverno possíveis. Algumas começam o processo de contratação para temporada 6 meses antes! 
  • Aplique também a escolas particulares de esqui e snowboard que deem aula em um certo centro de esportes de neve. Por exemplo, em Zermatt, você tinha a escola oficial da Montanha e mais umas 3 escolas particulares. Todas elas competem entre si e você, teoricamente, poderiam trabalhar em qualquer uma delas. Pesquise na internet!
  • Seja profissional! Tem muito carinha que detona no snowboard, sabe tudo de parque, mas nem sabe falar direito com um aluno sem usar gíria e explicar o movimento direito. Serviço ao cliente é muito importante
  • Atenção com permissões de trabalho e vistos. Isso vai depender de que passaporte você tenha. Você terá muito mais chances de ser contratado se a escola de esqui não tiver que se preocupar com papelada de imigração por sua causa. Porém, tendo nível 3 ou acima, é bem possível que a escola patrocine seu visto de trabalho
  • Dê uma olhada nesse site, ele é mais focado em esqui do que snowboard, mas tem excelentes informações que valem para os dois: http://ski-instructor-courses.com/
  • Faça muito amigos e divirta-se!!!

 

Esqui e snowboard

Opções de cursos de instrutor de esqui ou snowboard pelo mundo

 

Essa é uma lista com empresas que dão o curso de instrutor pelo mundo. Você pode utilizar algumas delas e também fazer a sua própria pesquisa. Praticamente todas fornecem cursos, exames e respectivas qualificações tanto em esqui como snowboard.

DICA DE SEGUROS: Verifique com a escola ou empresa que você escolher se você necessita algum tipo de seguro especial ou se um seguro de viagem é suficiente para você. A HCC Medical é seguro de viagem mais barato do mundo, que aceita cidadãos de todo o mundo e ainda cobre esqui e snowboard em pista. Caso você vá fazer fora de pista e parque, aconselho o WorldNomads Explorer, muito accessível e que também cobre cidadãos do mundo todo. Para saber mais, verifique a minha página com 3 melhores e mais baratos seguros de viagem do mercado.

Caso alguma escola ou empresa queira ser incluída aqui ou há alguma informação errada, por favor, nos avise na área de comentários abaixo.

Um Curso de instrutor de Esqui e Snowboard específico para Brasileiros!!

ABISSEsse curso é administrado pela ABISS (Associação Brasileira de Instrutores de Ski & Snowboard).

Local: La Hoya (Argentina)

Duração: 3 semanas (17/08/2015 a 07/09/2015)! É agora em Agosto 2015, então corra!!

Mais detalhes: a carga horária é de 3 semanas. Serão 6 dias de aula por semana (com 1 dia livre), sendo 5 horas em média por dia na montanha, mais 1 hora de aula teórica no hotel. Ao final do curso, todos passarão por avaliação prática e teórica. Curso ministrado em Inglês.

Custo: 1000 dólares incluindo Aulas práticas e teóricas, monitoria, exame final e apostila.**

**Lift, transfer, hospedagem, alimentação e passagem não fazem parte do valor do curso. Itens ficam por conta dos participantes.

Quem quiser uma ajuda na logística pode comprar o pacote da SnowTravel.

Valor: a partir de 1600 dólares inclui:

– traslados de chegada e saída

– 21 noites de Hospedagem com café da manhã no Hotel Sur Sur

– Traslados ao Cerro por 20 dias

– Ski lift por 20 dias

– Valores para acomodação em apartamento duplo e triplo

Fora o valor da passagem aérea.

Benefícios: Um dos poucos cursos ministrados na América do Sul, facilitando a viagem e baixando o custo total do curso. Além disso, a ABISS ajuda com o contato entre os novos Instrutores Brasileiros certificados e possíveis centros de esqui para contratação. 

Contato e informação: ABISSOu, você pode me mandar um email para a ABISS que eles te mandam a informação completa: cursoabiss2015@gmail.com

E você pode também ver esse artigo da Julianny Moraes que completou o curso no ano passado. 

 

Outras opções pelo mundo…

 

Escola: Sitco

Qualificação: Nova Zelândia

Local: Nova Zelândia

Contato e informação: http://www.sitco.co.nz

 

Escola: The Winter Sports Company

Qualificação: Nova Zelândia Canada, Britânica

Local: Canada, Itália, Nova Zelândia

Contato e informação: http://www.wintersportscompany.com

 

Escola: Alltracks

Qualificação: Canada

Local: Canada

Contato e informação: http://alltracksacademy.com

 

Escola: Rookie Academy

Qualificação: Nova Zelândia, Canada, Britânica, Americano

Local: Canada, Estados Unidos, Nova Zelândia

Contato e informação: http://www.rookieacademy.com

 

Escola: Snow Skool

Qualificação: Nova Zelândia, Canada, Britânica

Local: Nova Zelândia, Canada, França, Suíça

Contato e informação: http://www.snowskool.com

 

Escola: NonStop

Qualificação: Nova Zelândia, Canada, França

Local: Nova Zelândia, Canada, França

Contato e informação: http://www.nonstopsnow.com/

Esqui e snowboard

Escola: EA

Qualificação: Nova Zelândia, Canada, Britânica, Estados Unidos

Local: Nova Zelândia, Canada, Japão, Suíça, Estados Unidos

Contato e informação: http://www.easkiandsnowboard.com/

 

Escola: Yes Improvement

Qualificação: Canada

Local: Canada

Contato e informação: https://www.yesimprovement.com

 

Escola: Ski Instructor Academy

Qualificação: Áustria          

Local: Áustria           

Contato e informação: http://www.siaaustria.com

Escola: Peak Leaders

Qualificação: Canada, Britânica

Local: Canada, Argentina, França, Suíça,

Contato e informação: http://peakleaders.com

 

Escola: Flying Fish

Qualificação: Canada, Britânica    

Local: Canada          

Contato e informação: https://www.flyingfishonline.com

 

Escola: Base Camp

Qualificação: Britânica       

Local: Nova Zelândia, Canada, França       

Contato e informação: http://www.basecampgroup.com

 

Escola: Instructor Academy

Qualificação: Canada                     

Local: Andorra         

Contato e informação: http://www.instructor-academy.com

 

Escola: Sunshine World

Qualificação: Canada                     

Local: Polônia

Contato e informação: http://www.cheapskiinstructortraining.com

 

Escola: Ski Inspired

Qualificação: Britânica       

Local: Espanha        

Contato e informação: http://ski-instructor-courses.com/go/becomeaskiinstructorinspain/

 

Escola: SnoworksGAP

Qualificação: Britânica       

Local: França           

Contato e informação: http://www.snoworksgap.co.uk

Esqui e snowboard

Escola: Altitude Futures

Qualificação: Britânica       

Local: Suíça  

Contato e informação: http://www.altitude-futures.com

 

Escola: New Generation Ski and Snowboard School

Qualificação: Britânica       

Local: França, Suíça 

Contato e informação: http://www.instructorcourses.skinewgen.com

 

Escola: Snow Trainers

Qualificação: Nova Zelândia, Estados Unidos      

Local: Estados Unidos, Japão, Nova Zelândia

Contato e informação: http://www.snowtrainers.com

 

Escola: Section 8 Snowsport Institute

Qualificação: Canada                     

Local: Canada

Contato e informação: http://www.section8ski.com

 

Escola: International Academy

Qualificação: Britânica, Áustria, Canada, Nova Zelândia

Local: França, Suíça, Áustria, Canada, Nova Zelândia      

Contato e informação: http://www.skiweekends.com/ski-weekends/skiweekends-snow-academy/

 

Escola: NothinButSnow

Qualificação: Canada         

Local: Canada

Contato e informação: https://www.nothinbutsnow.com

 

Escola: ICE

Qualificação: Britânica                   

Local: França

Contato e informação: http://www.icesi.org

Esqui e snowboard

Dá uma olhada nas caras de guaxinim pelo queimado de sol!

 

Escola: SkiForce

Qualificação: Britânica                   

Local: França

Contato e informação: http://www.skiforce.org

 

Escola: Warren Smith Ski Academy

Qualificação: Britânica       

Local: Suíça

Contato e informação: http://www.warrensmith-skiacademy.com

 

Escola: The Snow Centre

Qualificação: Britânica       

Local: Reino Unido

Contato e informação: http://www.thesnowcentre.com/lessons/instructor-academy

 

Escola: Inter Ski Snowsport School

Qualificação: Britânica       

Local: Itália

Contato e informação: http://www.interskisnowsportschool.co.uk

 

Escola: Canadian Rockies Academy

Qualificação: Canada         

Local: Canada

Contato e informação: http://www.canadianrockiesacademy.com

 

Escola: Ski le Gap

Qualificação: Canada         

Local: Canada

Contato e informação: https://skilegap.com

 Esqui e snowboard

Escola: OnTheMountain Pro

Qualificação: Britânica       

Local: Suíça

Contato e informação: http://www.onthemountainpro.co.uk

 

Escola: Skivo2

Qualificação: Britânica       

Local: França

Contato e informação: http://www.skivo2.co.uk

 

Escola: Gapski

Qualificação: Britânica       

Local: França

Contato e informação: http://www.gapski.com

 

Escola: BASS

Qualificação: Britânica       

Local: França

Contato e informação: http://www.britishskischool.com

 

Escola: Snoworks

Qualificação: Britânica, França      

Local: França

Contato e informação: http://www.snoworks.co.uk

Esqui e snowboard

Esquenta no dormitório…

 

Uma outra boa fonte de informação somente para cursos de esqui, muito bem organizada por datas e valores, é essa página: http://ski-instructor-courses.com/ski-course-database/

Bom, foi um artigo longo com um pouco da minha mini carreira de instrutor e mais algumas informações que possam te ajudar a decidir se é isso mesmo o que você quer e como começar……realmente espero que ajude alguns por aí!

Então, você quer ser um instrutor também? Ainda tem dúvidas? Ficou faltando alguma informação que eu deveria ter colocado? Dê a sua opinião, perguntas e sugestões na área de comentários abaixo.

E te desejo muito powder, sempre!!

Para saber sobre as minhas ferramentas e aplicativos de viagem favoritos que me permitem viajar tanto e a um custo tão baixo, dê uma olhada na minha página especial sobre “ferramentas e aplicativos de viagem.”

Se você quiser saber mais sobre novos artigos, conferir nossas últimas fotos, e ler sobre novidades, é só nos seguir aqui…

Facebook Icon  Instagram Icon  Twitter Icon  Google Plus Icon  Youtube Icon

….e cadastre-se abaixo para receber o nosso informativo:

Related Post from this Blog

18 Responses

  1. Julianny
    Julianny at |

    Parabéns pela matéria! Muito rica em informações! Experiência fantástica! Adorei!

    Reply
  2. Victor Bertolucci
    Victor Bertolucci at |

    Parabéns pela matéria!

    Procurei muito matérias como essa,de relatos de brasileiro dando aula de snow/ski! Morei em Queenstown também esse ano, só não comprei o sesson pass porque a estava sem fundo de investimento ahahahaha Mas teria mais algumas duvidas se você pudesse me ajudar!? Teria alguma cidade com facilidade para arrumar trabalho na estação sem ser dando aula? Porque igual você queria ter uma experiencia primeiro na estação em si antes de começar o processo para tentar dar aula. E aqui no hemisfério sul precisa ser fluente em espanhol para arrumar algo? sou fluente em inglês mas em espanhol só dou aquela enrolada.

    bem maneiro sua experiencia espero um dia conseguir ter a minha!

    Abraço

    Victor

    Reply
  3. Sergio Meira Lima
    Sergio Meira Lima at |

    Voce tirou muita onda!! Assim como voce, sou backpacker, bolei com o artigo! irado demais, experi monstra, to procurando algum trabalho em estacao de ski p essa temporada, to buscando no workaway, tem nenhum contato nao ? Eu tenho contato na polonia, mas ja fui p la nos ultimos dois anos, quero trabalhar em outro pais agora. Valeu!!!

    Reply
  4. Sergio Meira Lima
    Sergio Meira Lima at |

    escrevi uma parada gigante mas nao foi, enfim, parabens

    Reply
  5. Julia Bertini
    Julia Bertini at |

    Oi Rodrigo tudo bem? Gostei muuuito do seu artigo e me inspirou muito a buscar o que gosto de verdade! Ultimamente tenho mandado vários emais para estaçoes de ski na Argentina e no Chile, mas não tenho tido muitas respostas. O fato de eu não falar espanhol fluente seria prejudicial para a contratação? E você saberia dizer qual a época que eles costumam começar a contratar? Estou muito ansiosa e queria isso para ontem já!
    Obrigada pela atençao

    Reply
  6. Átila Souza
    Átila Souza at |

    Artigo irado cara, sabe me dizer me recomendar alguma outra escola que tenha curso para instrutor entre Argentina ou Chile ?? Abraço

    Reply
  7. Rodrigo Hollie
    Rodrigo Hollie at |

    Amigos, como faço para trabalhar em estação de esqui no CHILE?

    Reply
  8. Julia Ramos
    Julia Ramos at |

    Parabéns, gostei do artigo e do site. Mas ainda estou curiosa: Qual é a nacionalidade mimada que trata os instrutores como escravos?

    Reply
  9. Cleide
    Cleide at |

    Rodrigo estava vendo seu artigo adoramos, na vdd estavamos olhando as 5 cidades que pagam para morarmos,nao sei se vc ja viu? vc acha que compensa ou que vale a pena pra quem quer ir pra estudar?

    Reply

Deixe uma resposta

Real Time Web Analytics