10 Opções para Você Poder Morar no Exterior

Estudar na AustráliaViver no exterior é uma das experiências mais enriquecedoras da quais você pode fazer parte. Morar em um outro país te permite que você se depare com novas situações e tenha que solucionar problemas que você não encontraria em seu país de origem, ajudando você a se desenvolver e crescer como pessoa. Sério mesmo, se você tem a oportunidade de fazê-lo; faça! Quaisquer problemas que você possa encontrar em outro país não são piores do que o arrependimento e aquele “e se eu tivesse ido” que você carregará para sempre com você. Para muitas pessoas, porém, eles se perguntam como podem viver no exterior quando eles nem sequer têm dinheiro suficiente para visitar um outro país.

Eu tive sorte de ter a oportunidade incrível de viver em mais de uma dúzia de países, trabalhando em uma variedade de ocupações diferentes que vão desde instrutor de esqui e snowboard a garçom e divemaster. Ou, se eu não fui capaz de trabalhar em algum lugar, eu encontrei maneiras de viver lá gastando quase nada como por exemplo, trabalhando em albergues em troca de acomodação.

Então, eu criei este artigo aqui com uma grande lista de todas as opções possíveis e imagináveis ​​para que você se dê a chance de viver em outro país e tenha a vida transformada para melhor da mesma forma que eu tive a minha. A primeira parte da lista vai lhe dar opções para trabalhar e ganhar dinheiro enquanto você estiver no estrangeiro e a segunda parte sugere formas de experimentar a vida no exterior com pouco ou quase nenhum dinheiro. Com sorte, você vai encontrar uma ou mais opções que funcionam para você.

Então, aqui vamos nós ….

 

Formas de viver no exterior e ganhar dinheiro ao mesmo tempo

 

   1)  More em um outro país com um visto de estudante para poder trabalhar ao mesmo tempo 

Essa é uma forma muito comum de se ter uma chance de morar fora. Muitos países permitem a estudantes estrangeiros que eles trabalhem legalmente durante os seus estudos.

Nesse caso, existem dois tipos de estudos: universitários e técnicos (onde também é possível estudar inglês).

Na maioria das vezes, o estudante só pode trabalhar meio período, cerca de 20 horas por semana. Mas pela a minha experiência na Austrália, muitas vezes isso é mais do que o suficiente para pagar os estudos (no caso de escolas técnicas, tipo Turismo), moradia e ainda se divertir. Ou seja, dependendo de quanto você trabalhar e gastar, pode até compensar o investimento inicial.

Mesmo que faça muito tempo que você tenha terminado os seus estudos em seu país de origem, não há problema, pois não há limite de idade!

Você tem a opção de vários países para estudar e trabalhar legalmente: 

  • Austrália
  • Nova Zelândia
  • Canadá
  • Irlanda
  • Estados Unidos
  • Alemanha
  • França
  • Outros…

 

Para participar desse esquema, eu recomendo usar uma agência daqui do Brasil para te ajudar em todo o processo de escolha do país, curso e faculdade/escola, além de suporte com o visto e outros diversos. Mas só para se sentir mais tranquilo, eu também recomendo que você entre em contato diretamente com a escola onde você está pretendendo estudar para ter certeza que é uma empresa idônea e que não vai te deixar na mãe quando você chegar ao novo país. 

Se você for de outro país, eu recomendo procurar na internet em quais países você poderia estudar e trabalhar legalmente, ou consultar agências de intercâmbio onde você mora.

 

E que tipos de trabalhos eu posso esperar fazer por lá?

Bom, para falar a verdade, não vai ser nada muito deslumbrante. Na maioria das vezes, você vai acabar fazendo o que a gente chama de subemprego, onde não se exige grandes qualificações. O que não significa que, em alguns lugares, você não consiga ganhar dinheiro o suficiente para juntar. No meu caso, trabalhando na Austrália como garçom de eventos, eu achava que ganhava razoavelmente bem. Mas você pode esperar em trabalhar como:

  • Garçom
  • Camareiro em hotéis
  • Limpeza em geral
  • Construção
  • Ajudante de cozinha
  • Montando e desmontando eventos
  • Babá
  • Colheita
  • Caixa de restaurantes e supermercados
  • Empacotador
  • Entregas
  • Arrumador de prateleiras em supermercados
  • Tutor (aulas particulares) na sua língua de origem
  • E até mesmo trabalhos na escola onde você estiver estudando…

 

Mas sempre há a chance de trabalhar em sua especialização do Brasil. Caso por exemplo, você seja uma professora de Yoga no Brasil e fale Inglês, nada te impede de trabalhar dando aulas no exterior também durante os seus estudos…

Aqui há uma pequena lista de empresas no Brasil que podem te auxiliar no seu processo de intercâmbio:

 

 

 

 

 

Prós:

  • Relativamente fácil de obter um visto (de estudante)
  • Pode trabalhar legalmente com seu visto (em alguns lugares)
  • Pode usar isso como uma desculpa para estudar outra língua
  • Você pode ganhar bem em alguns países
  • Experimenta a vida de estudante em outro país
  • Sem limite de idade

 

Contras: 

  • Você ainda tem que pagar para estudar
  • Pode ter dificuldades para encontrar cursos na língua de sua escolha (neste caso, fazer um curso de iniciante e aprender a língua do país é a sua melhor aposta)
  • Pode ter que fazer um trabalho desagradável

 

Festa do Lagostim na Suécia

Aproveitando a minha vida na Suécia durante a Festa do Lagostim

 

   2)  Faça intercâmbio de trabalho no exterior durante a sua faculdade no Brasil (Work Experience) 

Esse é um esquema legal onde você pode estar fazendo faculdade aqui no Brasil e nas férias você vai trabalhar em hotéis, centros de esqui e parques de diversão.

O principal país de destino nesse esquema são os Estados Unidos, mas há opções em outros países também como na França, Irlanda e outros.

Para participar, você deve ser estudante universitário no Brasil, ter um nível pelo menos intermediário de inglês (ou da língua do país de destino) e estar disposto a passar no mínimo 3 meses das férias de verão trabalhando. Você também tem que ter entre 18 e 25 anos.

Para falar a verdade, eu nunca fiz esse programa, mas já conheci muita gente que fez e adorou.

Você também vai precisar fazer um investimento inicial que, para ser bem sincero, talvez não se pague ao final, mas provavelmente vai ser umas das formas mais baratas que existe de se passar 3 meses no exterior praticando uma segunda língua, fazendo dinheiro e se divertindo com um monte de gente bacana.

Algumas das mesmas empresas que eu mencionei no primeiro item oferecem esse programa de “Work Experience”. Então é só olhar nos links acima. 

Prós:

  • Aberto a várias nacionalidades
  • Você pode trabalhar legalmente
  • Você pode fazer dinheiro
  • Você pode praticar uma segunda língua
  • Você pode conhecer muitas pessoas interessantes!
  • Você começa a experimentar uma nova cultura
  • Tudo (voo, alojamento, etc.) serão organizadas para você pelo programa (embora você tenha que pagar)

 

Contras: 

  • Você tem que ser um estudante universitário
  • Há um limite de idade (18-25)
  • O programa não é barato (e o que você ganha pode não cobrir o custo)
  • Os países que você pode aplicar são limitados
  • Pode haver uma exigência mínima de idioma 

 

Instrutor de Esqui e Snowboard

Trabalhando em uma estação de Esqui na Austrália

   3)  Aplicar para um Working Holiday Visa (Visto de Férias e Trabalho) 

Uma opção que é ainda pouco conhecida de muitos Brasileiros é o “Working Holiday Visa”. O Visto de Férias e Trabalho é uma autorização de residência que te permite viajar e trabalhar no país emissor do visto para suplementar seus fundos de viagem. Com esse visto, você pode ter a experiência de viver em um país estrangeiro sem sofrer as despesas habituais de encontrar patrocínio para visto de trabalho com antecedência ou aderir a programas caros de intercâmbio universitário.

É uma boa opção para quem não pode investir muito em um intercâmbio e só quer trabalhar sem gastar tempo estudando. Mas isso não te impede de também estudar ou simplesmente passear pelo país. Esse visto te permite quase tudo e normalmente dura um ano!

 

E quais os países que permitem o Visto de Férias e Trabalho para Brasileiros?

  • Nova Zelândia
  • Alemanha
  • França

 

Você pode até tirar esse visto com o auxílio de uma empresa terceira, mas se você quiser economizar, pode fazer direto pelo sites dos consulados e embaixadas dos respectivos governos.

A idade permitida para se tirar esse visto é normalmente de 18 a 30 anos.

Dê uma olhada nesses sites para ter mais informações:

 

 

 

 

Infelizmente nós Brasileiros não temos muitas opções de países que nos aceitam nesse esquema de Working Holiday Visa. Mas caso você tenha uma segunda cidadania, eu te aconselho a dar uma olhada abaixo nesse site em Inglês onde mostra todas as possibilidades de Visto de Férias e Trabalho para todos os cidadãos do mundo!

https://en.wikipedia.org/wiki/Working_holiday_visa  

Prós:

  • Não tem muito custo inicial (apenas tem que pagar pelo visto)
  • Pode fazer o que quiser com o visto … não tem que só trabalhar!
  • Pode haver um monte de opções, dependendo da sua cidadania
  • Se você trabalhar, terá algo para adicionar ao seu CV

 

Contras: 

  • Há um limite de idade (varia de país para país, mas geralmente não mais de 30-35)
  • Você pode não ser capaz de encontrar um emprego no país que você possua o visto
  • Alguns países podem ter restrições sobre as horas de trabalho, etc.

 

colheita de frutas

Colhendo amoras em um “Workway” (voluntariado) em Portugal

  

   4)  Ache um emprego no exterior que te patrocine o visto de trabalho 

Basicamente não é impossível de se conseguir um trabalho no exterior. Não é fácil, mas não impossível.

Normalmente existem duas formas:

 

   a)  A empresa onde você trabalha no Brasil te envia para trabalhar na filial deles no exterior.

Essa é a forma mais fácil, pois a sua empresa vai tomar conta de toda a burocracia e papelada para que você vá para o exterior. Além disso, o trabalho já está garantido.

 

   b)  Procurar um trabalho no exterior de forma independente.

Nesse caso, você vai ter que procurar o trabalho sozinho, bem mais complicado que na opção acima. Mas o importante, e muitas vezes meio difícil, é achar um emprego em uma empresa que te patrocine seu visto. Isso nem sempre é muito fácil, mas é possível, principalmente se a sua área é de grande demanda pelo mundo. Eis algumas profissões onde você pode conseguir visto de trabalho patrocinado:

  • Professor de Inglês

 

Na maioria dos casos você deve ser nativo na língua. As qualificações necessárias e benefícios divergem de país a país.

Site para achar empregos de professor de inglês pelo mundo no http://www.eslcafe.com 

Principais países que contratam estrangeiros para ensinar Inglês:

  • Japão
  • Coréia do Sul
  • Taiwan
  • Espanha
  • China
  • República Tcheca
  • Oriente Médio em geral
  • ….e muitos outros!

 

  • Au pair (babá)

 

Há muitas empresas no Brasil onde você paga e eles acham o trabalho de Au Pair que é basicamente trabalhar como babá. Você deve ter entre 18 e 26 anos para tal. Haverá um custo inicial mas ao se trabalhar no país de destino, a conta pode se pagar ao final.

Site para achar empregos de Au Pair:

http://www.intercultural.com.br/trabalhar-no-exterior/

http://www.stb.com.br/intercambio-trabalho/au-pair

http://www.destino.ci.com.br/trabalhar-no-exterior/au-pair 

http://www.experimento.org.br/trabalho/au-pair/

 

  • Instrutor de esportes de neve (Ski ou Snowboard)

 

Eu explico detalhadamente sobre isso na minha página sobre como se tornar um instrutor de esqui ou snowoboard.

 

  • Profissionais da saúde (enfermeiros, médicos etc…)

 

Você talvez tenha que fazer alguns exames para equiparar conhecimentos, mas profissionais da saúde são sempre desejados ao redor do mundo.

 

  • Divemaster ou Instrutor de Mergulho

 

Eu explico e dou exemplos na minha página como participar de uma programa de Divemaster Trainee e ser pago para mergulhar pelo mundo.

 

  • TI (Tecnologia de informação)

 

Com a alta demanda no mundo por técnicos de informação qualificados, se você for um bom profissional nessa área, é relativamente fácil encontrar um emprego em outro país onde te paguem pelo seu visto de trabalho.

Site para achar empregos: http://www.computerjobs.com

 

DICA: Trabalhe na América do Sul!

Como fazemos parte do Mercosul e da Unasul, temos facilidades em arranjar trabalho e visto dentro da América do Sul. Dependendo do trabalho e duração, às vezes você nem precisa de visto especial para trabalhar legalmente dentro da América do Sul.

Site para achar empregos na América do Sul: http://www.easyexpat.com/pt/job-offers/continent_america-do-sul.htm 

Sites diversos para se achar trabalhos pelo mundo:

http://www.goabroad.com 

https://jobbatical.com/

http://www.easyexpat.com/pt/index.htm

https://www.workingabroad.net

http://saopaulo.craigslist.org (coloque a cidade onde você esteja procurando emprego) 

Prós:

  • Trabalhar legalmente sem temores de deportação, multas ou ser banido de um país
  • Poderia fazendo algo dentro do seu campo principal de carreira
  • Seu empregador vai lidar com as questões burocráticas / visto
  • Você vai chegar ao país com um emprego estável e com visto nas mãos

 

Contras: 

  • Pode não ser capaz de encontrar o emprego ou alguém para patrocinar seu visto
  • Opções limitadas dependendo do seu campo / experiência

  

Estagiário Divemaster

Treinamento durante o meu programa de Divemaster Trainee na Tailândia

   5)  Tente conseguir uma segunda cidadania

Ok. Eu sei que isso não é fácil para a maioria dos habitantes desse planeta. Mas pode ser mais fácil do que se imagina para alguns deles. Por exemplo, um amigo meu passou anos viajando com um passaporte Brasileiro antes de perceber que ele era elegível para se candidatar a uma cidadania Portuguesa…. o que naturalmente fez o processo de viajar muito mais fácil!

Basicamente há 3 formas de se conseguir uma outra cidadania:

 

   a)  Por parte de família

Nesse caso, você deve ter um dos dois pais, avós ou até bisavós que tenham a cidadania de um outro país. No caso Brasileiro, os mais comuns são Portugueses, Italianos e Alemães.

Cada país tem regras diferentes de como conceder cidadania a parentes. Eu te aconselharia a pesquisar no site do consulado do país correspondente e ver se no seu caso é possível e quais documentos são necessários.

É um processo difícil, demorado e relativamente caro (mas não mais caro que um intercâmbio pago). Mas se você finalmente tiver um segundo passaporte que seja de um país desenvolvido (EUA, União Européia, Canadá etc…) as portas do mundo se abrem para você. Mas é preciso muito esforço e organização pois precisa de muita papelada. Eu já conheci gente que podia tirar mas desistiu antes mesmo de começar porque achou que era trabalho demais. Bom, se fosse fácil, todo mundo fazia…

 

   b)  Através de residência permanente e depois cidadania por tempo de permanência

Se você passar muito tempo morando legalmente em um país estrangeiro (normalmente devido a trabalho), em muitos casos você poderá tirar uma residência permanente (tipo green card) e até cidadania. Cada país tem regras diferentes, então se informe no site da imigração daquele que te interessa.

 

   c)  Através de casamento com um (a) estrangeiro (a)

Isso também depende de cada país, mas estando casado (a), mesmo que você não consiga a cidadania, no mínimo você terá permissão de morar e trabalhar legalmente no país do seu amor… 

Prós:

  • Você pode viver e trabalhar legalmente
  • Você pode ter os mesmos benefícios (e deveres) que os outros cidadãos do país
  • Pode ser capaz de entrar em novos países com isenção de visto (especialmente se o passaporte for de um país em desenvolvimento)

 

Contras:

  • Para muitas pessoas é impossível, dependendo das circunstâncias
  • Pode ser caro
  • Há um monte de papelada e burocracia envolvida
  • Pode demorar muito tempo

Por acaso você já tem uma cidadania Europeia (Italiana, Portuguesa, Espanhola etc…)? Ou pode conseguir uma? 

Se sim, então você também é um cidadã(o) da União Europeia (ou será um) e tem UM MONTE de privelégios! Para saber quais são esses benefícios, dê uma olhada no nosso artigo 21 Razões Pelas Quais Fazer Parte da União Europeia é Sensacional!

Trabalho na Austrália

Montando tendas de eventos na Austrália

   6)  Trabalhar no exterior por baixo do pano 

Na verdade eu não suporto nem desencorajo essa prática. Já conheci muitas pessoas que o fizeram estando com visto de turista ou até mesmo ilegais no país.

O importante é saber quais são as consequências caso você seja pego. Você pode ser preso (improvável mas possível), ter que pagar multa, ser deportado e talvez nunca mais consiga voltar ao país da infração.

Mas só como base, os trabalhos que você vai conseguir fazer são mais ou menos os mesmos que você faria como estudante no primeiro item:

  • Garçom
  • Camareiro em hotéis
  • Limpeza em geral
  • Construção
  • Colheita
  • Ajudante de cozinha
  • Montando e desmontando eventos
  • Caixa de restaurantes e supermercados
  • Empacotador
  • Babá
  • Arrumador de prateleiras em supermercados
  • Entregas
  • Guia Turístico (trabalhar em Free Walking Tours ganhando gorjetas)
  • Trabalhar em albergues
  • Aulas particulares de alguma língua específica…

 

Prós:

  • Mais liberdade na escolha
  • Pode encontrar emprego na chegada
  • Nenhum contrato … pode sair quando quiser
  • Sem custos iniciais (fora a viagem em si)

 

Contras:

  • Nenhuma forma de contrato, então o empregador poderia tirar vantagem de você
  • A punição se for pego
  • Pode ser estressante chegar em um lugar novo sem emprego
  • Não há benefícios de trabalho (plano de saúde, férias, etc)

Limpeza Industrial

Limpeza da grossa durante meus estudos na Austrália

  7)  Através de Imigração qualificada  

Existem países onde há falta de profissionais em algumas áreas e o próprio governo do país desenvolve programas para atrair imigração qualificada. Nesse esquema, caso aceito, o estrangeiro ganha um visto de residência e pode trabalhar e viver legalmente. A ideia é que o imigrante fique por lá a longo prazo para contribuir com país!

Assim como nas opções acima, o processo não é fácil, mas já conheci muita gente que fez e deu certo. Ele funciona através de pontos por categorias e quanto mais pontos você tiver, mais chances tem de ser aceito.

E quais as categorias que dão pontos? 

  • Ter faculdade
  • Experiência de trabalho na área de formação
  • Ser formado em uma área de demanda
  • Falar a língua local (notas mínimas no TOEFL ou IELTS para Inglês)
  • Quanto mais jovem melhor
  • E outras características….

 

Isso não significa que se você não tiver um dos itens acima não será aceito. Como falei, é por acúmulo de pontos e você precisa de um mínimo de pontos dependendo de cada país. Recomendo que visite o site do consulado ou embaixada do país de escolha para ver quais são as etapas e necessidades mínimas.

Alguns países conhecidos com programas de imigração qualificada são:

  • Austrália
  • Nova Zelândia
  • Canadá (há também direto pela província de Quebec)

 

Prós:

  • As vagas de trabalho no novo país são geralmente para profissionais e pagam bem (já que você é um trabalhador qualificado)
  • Você será capaz de trabalhar legalmente
  • Você poderá aplicar para a cidadania (depois de alguns anos)

 

Contras:

  • Você precisa ter uma habilidades específica que tenha demanda para poder ser aceito
  • É um processo longo e difícil
  • Há uma preferência por pessoas mais jovens

 

Professora de Inglês na Coréia

Nikki ensinando Inglês na Coréia do Sul

 

   8)  Torne-se um nômade digital (tenha localidade de residência independente)

Ser nômade digital está virando uma febre pelo mundo. Mais e mais pessoas trabalham de casa via seus computadores e assim não precisam ir ao escritório. E se você não precisa ir ao escritório, por que precisa morar na mesma cidade do seu trabalho ou até mesmo no mesmo país?

Então é normal hoje em dia você ir para uma praia na Tailândia e ver o pessoal trabalhando de frente para o mar em seus computadores a milhares de quilômetros de seu país de origem. Isso é o escritório deles!

Obviamente não é todo tipo de trabalho que pode ser executado remotamente assim, mas a lista está aumentando…

  • Webmaster
  • Blogger
  • Tradutor
  • Escritor
  • Fotógrafo
  • Tutor online
  • Técnico de TI e por aí vai…

Então essa opção não te impede de continuar ganhando dinheiro com o seu trabalho e viajar pelo mundo ao mesmo tempo. Obviamente é preciso muita dedicação e disciplina pois você não pode passar o dia inteiro passeando. Tem que trabalhar no computador. Mas isso não impede que ao final do dia, ao invés a aturar o trânsito de São Paulo, você vá passear pelas ruas de Budapeste ou pelas montanhas do Cáucaso. Além disso, você é o seu próprio patrão!

Mais aí você pode me dizer: “ah, mais ficar em hotel é muito caro, não tem como bancar isso com o meu trabalho!”

Acredite, há pequenos hotéis, albergues, pensões e outras formas de moradia pelo mundo onde você gastaria uma fração do que você gasta por mês em uma cidade grande do Brasil.

Você pode ler mais sobre isso na minha página sobre acomodação.

Prós:

  • Você é completamente independente de moradia…. você pode viver onde quiser!
  • Você escolhe suas próprias horas de trabalho
  • Você é seu próprio patrão
  • Pode tirar dias de folga quando quiser (mais ou menos)
  • Imensa sensação de liberdade

 

Contras:

  • Você precisa ter um emprego on-line com o qual você realmente possa fazer dinheiro
  • Você precisa estar em algum lugar que tenha internet
  • Dependendo do trabalho, você pode acabar trabalhando muito mais do que tempo integral (como este blog, por exemplo … você se surpreenderia com quanto tempo nós nos dedicamos a nele!)
  • Você precisa ser extremamente organizado, disciplinado, e ser capaz de resolver problemas sozinhos (não tem mais chefe te dizendo o que fazer)

 

Camareiro de hotel

Limpando quarto de hotel na Suécia para pagar as contas

 

Formas de viver no exterior (muito baratas ou quase de graça) sem ganhar dinheiro

   9)  Viaje com acomodação grátis 

Falando em acomodação. Talvez você não consiga um trabalho por dinheiro no exterior. Talvez você nem consiga trabalhar em troca de comida ou moradia, mas não é tão difícil assim de se arranjar um lugar de graça para dormir pelo mundo.

Existem alguns sites onde você encontra pessoas que estão dispostas a acomodar pessoas de graça pela simples razão de ajudar ou conhecer outras pessoas de outros países. Sendo assim, você pode passar anos viajando pelo mundo a um valor extremamente baixo.

  

Eis os sites onde você pode arranjar acomodação de graça pelo mundo: 

O site abaixo é mais voltado para trocas de moradia pelo mundo, onde você aceita alguém do exterior na sua casa e fica na casa dele por um certo período. 

https://www.stay4free.com

 

Nesses sites abaixo, você fica de graça em casas pelo mundo para tomar conta delas enquanto os donos estão viajando ou para tomar conta de seus animais de estimação.

https://www.trustedhousesitters.com 

https://www.housecarers.com

https://www.mindmyhouse.com

 

 Apesar do Couchsurf ser uma opção de acomodação de período curto, não custa dar uma olhada. Eu explico exatamente como o Couchsurf funciona nessa página.

 https://www.couchsurfing.com

 Prós:

  • Opções disponíveis em todo o mundo para todas as durações possíveis
  • Pode viver como um local e ainda ter o seu próprio espaço
  • Ter a sua própria cozinha e lavandaria (algo que você pode não encontrar em todos os albergues)

 

Contras: 

  • Pode não ser capaz de encontrar o que você quer quando você quiser
  • Você será responsável por cuidar da casa e animais de estimação se esse é o acordo
  • Não é possível sair quando quiser …. você fez um compromisso com os donos da casa

 

Trabalhar em Albergues

Dando um caprichada em um albergue em Nashville nos EUA em troca de moradia

   10)  Seja um voluntário no exterior em troca de comida e moradia 

Esse é uma oportunidade muito legal que na verdade você não faz dinheiro, mas na maioria dos casos, trabalha umas 4 a 5 horas por dia em troca de acomodação e comida.

Você não precisa pagar uma agência para te enviar. Tudo o que você precisa é usar um dos vários sites disponíveis para tais serviços, procurar o país onde gostaria de trabalhar e ver quais são as opções disponíveis por lá.

E em que lugares você pode se voluntariar?

Há vários, mas normalmente são:

  • Hotéis
  • Fazendas
  • Clubes
  • Restaurantes
  • Bares
  • Escolas
  • Albergues/Hostels (especificamente sobre esses dois, eu falo na minha página como trabalhar em um albergue)

 

E que tipo de trabalhos eu farei?

Os trabalhos são normalmente simples. Mas se você tiver alguma habilidade específica, também pode utilizá-la. Algumas opções de atividades que você poderá fazer: 

  • Recepção
  • Limpeza
  • Colheita
  • Artes
  • Ensino
  • Marketing Digital
  • Ajuda na cozinha
  • Eventos
  • Línguas (edição e tradução)
  • Turismo
  • Entre outros…

 

Existem muitos sites onde você pode encontrar essas oportunidades. Aqui vai uma lista:

http://www.workaway.info

https://www.helpx.net 

http://wwoofinternational.org 

http://angloville.com

https://www.worldpackers.com

Esse esquema é diferente de programas de “voluntário” onde você paga (e muito) para participar do programa e trabalhar. Ao invés disso, você paga apenas uma pequena taxa de acesso às informações de contato do anfitrião (em torno de US $ 20-30 por dois anos) e todos os detalhes (horas de trabalho, alojamento, etc.) são organizados diretamente através de seu “empregador”, sem uma terceira pessoa. Você pode, no entanto, procurar as potenciais posições antes de pagar.

Esse caso de trabalho em troca de casa e comida é uma excelente forma de se conhecer e viver em outro país gastando muito pouco ou quase nada. Uma vez que você não está recebendo dinheiro, pode até faze-lo com o seu visto de turista mesmo. O tempo mínimo é por volta de duas semanas no mesmo lugar e o máximo….até quando o seu visto durar!

Na melhor das hipóteses, dá até para arranjar um trabalho remunerado no mesmo lugar caso eles tenham gostado muito de você!

Prós:

  • É (quase) grátis!
  • Você pode ir para quase qualquer lugar
  • Você não precisa ter habilidades especiais
  • Não é uma posição sob contrato sendo assim, você pode ir embora se não se der bem com o seu anfitrião
  • Sem limite de idade

 

Contras:

  • Têm de pagar taxa para entrar em contato com os anfitriões pelos sites (cerca de US$ 20-30 por 2 anos)
  • Pode não saber muito de antemão sobre os anfitriões (embora normalmente você possa encontrar avaliações)

 

ADENDO: Para Brasileiros, há também a opção de estudar no exterior com o Programa Ciência sem Fronteiras ou com bolsas de estudo do CNPq. Para saber mais, verifique as páginas abaixo:

http://www.cnpq.br

http://www.cienciasemfronteiras.gov.br

 

Tratadora de cachorros

Cuidando dos amiguinhos peludos em troca de comida e moradia

Dicas gerais para se mudar para o exterior

 

Essas dicas servem para qualquer uma das formas acima que você tenha escolhido para começar uma nova vida em um novo país.

 

   a)  Economize na compra de passagem aérea

Seja lá para onde você estiver mudando, provavelmente o fará de avião e tentará economizar ao máximo na passagem. Mesmo que você esteja comprando um programa de intercâmbio e eles tentem te fazer comprar a passagem aérea com eles, pesquise antes pois muitas vezes você pode achar passagens mais baratas de forma independente do que por sua agência de intercâmbio.

Esse artigo te dá 17 dicas de como economizar na compra da passagem aérea.

 

   b)  Encontre uma acomodação barata até que você consiga algo permanente

Quando eu mudei para a Austrália para estudar, a agência que eu tinha usado para me inscrever na escola Australiana me sugeriu uma acomodação temporária razoavelmente cara e longe da escola. Eu decidi achar um albergue por conta própria e ficar nele até que eu achasse um lugar permanente para morar. Economizei uma grana a ainda me diverti muito nesse hostel.

Esse artigo fala dos 6 melhores e mais baratos sites para encontrar e reservar o seu hotel ou albergue. No final do artigo, há um link que te dá R$ 90 de crédito grátis no Airbnb.

 

   c)  Não se esqueça do seguro de saúde / viagem!!

Em muito dos países que você for morar e dependendo da opção que você utilizar para tal, você terá que obrigatoriamente ter um seguro de saúde. No meu caso da Austrália, eu tinha que adquirir um seguro específico de estudantes que me pediam.

Porém, na maioria dos casos, um simples seguro de viagem será suficiente para que você esteja coberto. Alguns seguros de viagem podem cobrir por um ano ou até mais! 

Nesse artigo eu te explico tudo sobre seguro de viagens e dou os 3 melhores e mais baratos seguros de viagem que dão cobertura em quase todos os países do mundo!

 

   d)  Tenha um plano do que você precisará fazer quando chegar em um novo país

Mudar para um novo país não é fácil. Há muitas coisas para organizar além de ter que aprender como funciona no novo sistema. Sendo assim, preparei esse artigo para te ajudar na mudança dando as 16 primeiras coisas que você deve fazer quando chegar para morar em um novo país ou cidade, e tornar toda essa mudança mais tranquila.

 

   e)  E finalmente, explore esse blog! 

Não é por nada, mas caso vocês ainda não tenham reparado, esse blog é totalmente focado em dicas de como economizar nas suas viagens para que você viaje melhor e por mais tempo.

Então aconselho que você siga os itens da minha página principal A Arte de Mochilar para saber como você pode economizar no seu dia a dia e durante as suas viagens. Além disso, há uma seleção de aventuras que você pode fazer pelo mundo (Voluntário nas Olimpíadas, Salva-vidas etc..) nos itens da minha página Fora da Zona de Conforto. 

É isso aí, foi um artigo longo mas acredito que tenha coberto todas as possibilidades que existem para mudar para o exterior e recomeçar a vida em um novo país. 

Mas e você? Achou que ficou faltando alguma boa dica? Já morou ou está morando em um outro país e gostaria de deixar uma dica? Não gostou de alguma das opções acima? Use a área de comentário para deixar o seu recado que eu responderei assim que for possível.

E como sempre, boas viagens e talvez….boas mudanças!

Para saber sobre as minhas ferramentas e aplicativos de viagem favoritos que me permitem viajar tanto e a um custo tão baixo, dê uma olhada na minha página especial sobre “81 Ferramentas e Aplicativos de Viagem.”

Se você quiser saber mais sobre novos artigos, conferir nossas últimas fotos, e ler sobre novidades, é só nos seguir aqui…

Facebook Icon  Instagram Icon  Twitter Icon  Google Plus Icon  Youtube Icon

….e cadastre-se abaixo para receber o nosso informativo:

Related Post from this Blog

47 Responses

  1. Tercio
    Tercio at |

    Mais um artigo legal. Valeu!!!

    Reply
  2. Marcelo Urbscheit
    Marcelo Urbscheit at |

    Artigo excelente…Parabéns!!!

    Reply
  3. Anônimo
    Anônimo at |

    Olá sou grata por conhecer o blog mais infelizmente minhas condições de viajar não são possíveis. Nem se quer falo bem inglês mas sinto q não faço parte do Brasil é como se eu não pertencesse a este lugar,confesso q meu sonho é ir morar nos USA mas não tenho condições para isso quem sabe um dia apareça uma oportunidade de eu ir e é claro q nem pensarei duas vezes.desde já mais uma vez agradeço ao blog por medar a oportunidade de conhecer melhor o país. Um grande abraço a tds do blog.!

    Reply
  4. Vito
    Vito at |

    Essa matéria é muito boa. E não apenas essa matéria mas o blog inteiro.
    Será que você poderia me dizer qual o valor mínimo(em Reais) que preciso ter no bolso para viajar na opção de trabalhar por alimentação e abrigo em albergues e fazendas, e também nas opções de encontrar um empregador que banque o meu visto, e também na opção de trabalhar debaixo do pano… Enfim, nas opções que contém menos exigências(como estudos), só pra entrar e trabalhar e ficar um tempo fora do Brasil e quem sabe ganhar uma graninha? Enfim, eu estou falando das opções de mais baixo-nível mesmo.
    Pode dizer mais ou menos de quantos Reais preciso para investir nesta aventura?

    Reply
  5. Carol
    Carol at |

    nem acabei de ler tudo e já achei muito bom… entrei pra ler informações a respeito do meu plano A e já tenho planos B, C e D!!

    Reply
  6. Alan Santos
    Alan Santos at |

    Sensacional, quem lê esse artigo não tem desculpa para não viajar, o que falta não é dinheiro, e sim, coragem. Obrigado por passar esse conhecimento, pois, irá mudar minha vida. Só uma coisa, eu tenho 21 anos e sou solteiro, então fica mais fácil poder fazer o que eu quiser. Mas, vou começar agora faculdade de Letras – Inglês, e acho que assim fica melhor, ser formado em Letras vai me dar mais oportunidades, planejo trabalhar a distancia como tradutor. Também sempre tenho plano A, B, C, D… e ai vai rsrs. Obrigado pelo blog no dia que eu começar a viajar vou indicar ele sempre nos meus vlogs. Abraço.

    Reply
  7. Andrea
    Andrea at |

    Acredito que seja o site mais completo e encorajador que ja vi. Muito obrigada por todas as dicas! Felicidades!!

    Reply
  8. Cadu
    Cadu at |

    Desculpa incomodar, mas eu tenho uma dúvida muito específica sobre morar fora, no caso seria com amigos pra facilitar um pouco, existe alguma forma de me dar um conselho sobre isso? Podemos conversar por email se preferir, desde já obrigado!

    Reply
  9. Roberto Júnior
    Roberto Júnior at |

    Gostaria De Conhecer Pessoas Para Viajar-mos Junto. +5587991831560 Whatsapp

    Reply
  10. Gabriela Teixeira
    Gabriela Teixeira at |

    Olá, Rodrigo! Conheci o seu site há alguns meses e desde então tenho namorado bastante as informações que você tem disponibilizado aqui. Acho que sair completamente “da caixa” assim é uma das coisas mais corajosas que alguém pode fazer e sempre admirei muito quem resolveu tomar esse rumo. Nunca achei que eu seria uma dessas pessoas, mas do último ano para cá tenho sentido uma verdadeira urgência de fazer algo que desse um sentido diferente na minha vida. Tenho 27 anos, me formei em Publicidade e ainda não me encaixei nesse mercado de trabalho, o que tem sido incrivelmente frustante. Quero dar uma repaginada e quem sabe até seguir uma nova direção de carreira… mas fica a incerteza de arriscar a aventura e precisar voltar depois, e de esse tempo gasto no mundo não contribuir para retomar a vida padrão. Fico insegura também por causa da idade, chegando perto dos 30. Você já encontrou pessoas com casos assim?
    E quanto a mulheres que viajam sozinhas, pela sua experiência, é algo tranquilo?

    Reply
  11. Franciely Silva
    Franciely Silva at |

    Olá Rodrigo! Descobri seu blog alguns dias atrás quando estava pesquisando mais sobre o assunto e simplesmente amei,ótimo trabalho!
    Será que você poderia tirar uma duvida minha se não for muito incomodo? Eu tenho 17 anos e vou terminar o Ensino Médio esse ano,estou juntando minhas economias para quando completar a maioridade viajar e quem sabe viver fora do país. Gostaria de perguntar, é possível mudar meu tipo de visto durante uma viajem? Por exemplo se eu entrar em um país com visto de visitante e encontrar um emprego lá,posso mudar meu visto de visitante para um visto de trabalho?
    Também gostaria de saber se você acha que consigo encontrar um emprego na area de computação gráfica possuindo um curso técnico ou eu devo primeiro fazer uma faculdade e depois pensar nisso?
    Desde já agradeço a atenção.

    Reply
  12. Franciely Silva
    Franciely Silva at |

    Olá Rodrigo!Descobri seu blog alguns dias atrás quando estava pesquisando sobre o assunto e adorei,parabéns pelo ótimo trabalho!
    Estou terminando meu ultimo ano no Ensino Médio e juntando minhas economias para poder viajar e quem sabe morar em outro país quando atingir a maioridade,mas tenho algumas duvidas .Se eu entrar em um país com um tipo de visto é possível muda-ló enquanto estou lá? Pretendo passar um mês na Inglaterra e estava pensando se seria possível com um pouco de sorte procurar um emprego na area de computação gráfica (A qual possuo curso técnico). Você acha eu deveria me especializar nisso fazendo uma faculdade por aqui e depois viajar,ou eu consigo trabalhar apenas com o curso técnico?
    Desculpe o incomodo.

    Reply
  13. Jessica Mello
    Jessica Mello at |

    Olá rodrigo acompanho seu blog a algum tempo só tive coragem de comentar agora rsrs
    Bom queria fazer minha vida fora, ter minha casa e emprego mais não sei po onde começar
    Queria saber qual a melhor forma no meu caso, de conseguir o green card (aquele cartão de residente permanente, não que eu queira morar nos USA)
    Pretendo fazer faculdade futuramente, estava pensando em ir trabalhar como babá mais eles exigem um inglês fluente então qual a melhor forma?
    Se eu for aprender inglês e tirar o visto de estudante e conseguir trabalhar por 4 horas ou procurar algo alternativo (vendendo doces/sobremesas em sites NÃO SEI SE DEIXARIAM)?
    Se depois o curso acabar pra mim é o mesmo que nada, entendo que tenham pessoas que buscam uma experiência cultural mais eu quero algo fixo
    Li que depois de morar por um tempo em determinados paises você pode pedi o gc, será que eu conseguiria se extendesse o curso para mais tempo ou se me especializasse em inglês, algo assim?
    Espero que tenha entendido onde quero chegar e parabéns pelo blog tem ajudado muitas pessoas

    Abc, Jessica

    Reply
  14. Alan
    Alan at |

    Taiwan não é país

    Reply
  15. Juliane
    Juliane at |

    Oi Rodrigo, estou amando seu site, realmente encorajador.
    Tenho uma dúvida. Vê sobre o trabalho de au pair, voce fala “Há muitas empresas no Brasil onde você paga e eles acham o trabalho de Au Pair que é basicamente trabalhar como babá. Você deve ter entre 18 e 26 anos para tal. Haverá um custo inicial mas ao se trabalhar no país de destino, a conta pode se pagar ao final.”
    Você sabe quais são as empresas que você pode pagar ao final do programa?

    Reply
  16. Taiene
    Taiene at |

    Olá Rodrigo, obrigada pelo seu Blog! Foi como uma luz no túnel pra quem não sabe qual direção tomar nem como começar.
    Tenho 24 anos, sou formada em Gestão de Eventos, o que não é em nada valorizado aqui no Brasil, não traz nenhuma estabilidade financeira e por ter que ajudar minha família, me tornei atendente de telemarketing.
    Desde que me lembro por gente sempre quis morar fora, falo inglês fluentemente e há um ano e meio estou tomando curso de Francês.
    Quero muito morar fora do país, estudar e finalmente me encontrar profissionalmente, infelizmente só estou um pouco perdida por onde começar e quais seriam as melhores opções estratégicas porque não tenho muito dinheiro para pagar por exemplo uma faculdade fora do Brasil e me sustentar ao mesmo tempo.
    Minha maior paixão na vida é viajar, e adoro aprender novos idiomas e sobre relações entre outros países.
    Qual vc acha que seria o melhor caminho no meu caso? Em quais países?
    Obrigada por sua atenção!
    Muito sucesso em sua vida, abraço!

    Reply
  17. Vilmar Oliveira
    Vilmar Oliveira at |

    Muito bacana, belo artigo, meus parabéns!
    DefendaSeuDinheiro.com.br

    Reply
  18. ILDO SIQUEIRA DOS SANTOS
    ILDO SIQUEIRA DOS SANTOS at |

    Opa tudo bem? Descobri tru blog agora e achei fantástico. Já vi outros blogs mas bom e detalhista como este não existe nota máxima pra vc. Minha dúvida é qual é o melhor país pra morar e trabalhar? Tipo em questão de custo menor e oportunidade? Nova Zelândia ou Irlanda? Obrigado.

    Reply
  19. CLEBER
    CLEBER at |

    Olá gostaria de ir para Portugal ou Alemanha Alemanha porque meu sobre nome e Alemao e Portugal porque poderia usar minha habilitação para trabalhar de motorista la o que você me indicaria para trabalhar e mais fácil de me aceitar!

    Reply
  20. CLEBER
    CLEBER at |

    Gostaria de ir para Alemanha por ter sobrenome alemão ou Portugal por poder usar minha habilitação para trabalhar de motorista qual pais me indicaria que seria mais fácil e mais em conta?

    Reply
  21. Tati
    Tati at |

    Amei o blog, as informações. Tudo tão detalhado. Dá para perceber a dedicação de vcs. Somos eu, meu marido e minha filha de 3 anos. Temos o sonho de morar em um país melhor que o Brasil. Com mais qualidade de vida. Queremos o melhor para nossa filha e esse sonho é para garantir um futuro melhor para ela. Com mais oportunidades. Com mais segurança. Ele é cinegrafista e eu artesã. Estamos juntando dinheiro mas gostaria de dicas sobre a parte burocrática de como ir morar com a família inteira. Porque tem escola e tudo mais. E eu li que temos que comprovar que temos condições de mater a família para poder nos mudar. Não temos um “sonho americano”. Pensamos na Europa. Se tiver algum Link no blog a respeito de “mudar para o exterior com a família” manda pra mim. Desde já agradeço.

    Reply
  22. Vanuza Medeiros
    Vanuza Medeiros at |

    Bom dia Rodrigo
    Gostei muito das informações,
    Minha dúvida é :
    Tenho um filho de 16 anos, deficientes físico,
    Quer morar nos Estados Unidos, Quer escrever livros,
    Ja ouvi falar, que eu conseguiria visto para poder acomoanha-lo,
    Sabe de algo neste sentindo?
    Obrigada
    Vanuza Medeiros

    Reply
  23. Henrique Lima
    Henrique Lima at |

    To impressionado com tua dedicação em compartilhar todo esse teu conhecimento , parabéns cara, muito obrigado e tudo de bom nos seus rolês futuros !

    Reply

Deixe uma resposta

Real Time Web Analytics